terça-feira, 28 de junho de 2011

pensO em ti

no entardecer sombrio, no vento que causa arrepio, na angústia e no abandono, na madrugada insípida, tediosa, na cama insensível e desditosa, na noite fria sem sono, penso em ti no passeio matinal, na moça que passa escultural, aguçando o meu prazer, na indiferença dos inimigos, na esperança de viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário